Fique por dentro

Siga nosso Twitter

Acesse nosso canal

Junte-se a nós no Facebook

Amigos do Parque Nacional da Amazônia inauguram sede

Espaço construído com apoio da Conservação Internacional será base e ponto de partida para uma série de atividades desenvolvidas junto à comunidade de Itaituba

Belém, PA, 14 de agosto de 2008

A Associação dos Amigos do Parque Nacional da Amazônia (Amiparna) inaugura, nesta sexta-feira (15), o prédio onde funcionará a sede da entidade em Itaituba, município da região oeste do Pará localizado a cerca de 1.400 quilômetros da capital, Belém. Com a inauguração da sede, que marca o início de uma série de atividades, a Amiparna passa a ter uma base para o desenvolvimento de suas ações junto à comunidade. O evento de inauguração será realizado a partir das 17 horas, com uma solenidade de descerramento da faixa e coquetel aos participantes. A partir das 20 horas, será realizado um jantar com os membros da entidade e convidados. O evento tem o apoio da Conservação Internacional (CI-Brasil), através de seu Programa Amazônia. A construção da sede recebeu investimentos da ordem de R$ 100 mil, oriundos da parceria entre a Conservação Internacional e a mineradora Alcoa.

“O Parque Nacional da Amazônia, apesar de existir desde a década de 1970, só agora, com os trabalhos de divulgação e de conscientização realizados pela Conservação Internacional e pela Amiparna, vem aos poucos sendo conhecido e valorizado pela população itaitubense”, explica a diretora do Núcleo de Desenvolvimento da Amiparna, Maria Lúcia dos Santos. “Antes disso, pouco se falava das belezas naturais, do valor biológico do Parque e da existência de problemas ambientais, como desmatamento, queimadas, grilagem, garimpagem e biopirataria, entre outros”.

A gerente do Programa Amazônia da Conservação Internacional, Renata Valente, observa que a Amiparna, como uma instituição local, vem criando estratégias de envolvimento e sensibilização das comunidades do entorno do Parque Nacional (Parna) no que diz respeito à importância da preservação da sua biodiversidade. “A mobilização da comunidade e sua capacitação permitiu formar agentes responsáveis por mudar a maneira como a população se relacionava com o Parque. A Amiparna exerce um papel fundamental, de ser a voz da comunidade e também o seu agente mobilizador”, explica.

Ações
A Amiparna desenvolve atualmente palestras nas escolas de Itaituba e oficinas de Educação Ambiental para os membros e educadores, organiza visitas monitoradas para a clientela escolar e demais interessados em conhecer o Parque Nacional (Parna) da Amazônia e prepara a formação de uma equipe local de pesquisadores para realizar um diagnóstico da biodiversidade da área.

Na próxima segunda-feira (18), a entidade dá início à implementação do Curso de Condutores Ambientais para o Parque e em outubro e novembro deste ano realizará palestras ambientais nas comunidades do entorno. Também em novembro, a Amiparna realizará o Planejamento Participativo de Educação Ambiental para o Parna. Para 2009, estão previstas reuniões e palestras nas comunidades e escolas comunitárias e do município, como parte do projeto de preservação da ararajuba, ave ameaçada de extinção e símbolo do parque cujas cores remetem à bandeira do Brasil.

A criação da Amiparna está diretamente relacionada a uma Oficina de Comunicação Comunitária e de Capacitação em Educação Ambiental realizada pela Conservação Internacional, em setembro de 2005, em Itaituba. O evento também culminou com a criação do programa de rádio “Sintonia Verde” e com uma exposição fotográfica com 38 imagens e textos sobre o Parna. Com suporte financeiro da Alcoa e parceria com Ibama e Proecotur/Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Conservação Internacional apoiou atividades que visam garantir a integridade e o manejo adequado dos recursos naturais do Parna da Amazônia, tais como o início das obras do Centro de Convivência, a criação de trilhas interpretativas, a revisão do plano de manejo e a formação do conselho consultivo.

Parna
Criado pelo decreto 73.683, de 19 de fevereiro de 1974, com uma área de 1.114.496 hectares, o Parna da Amazônia está localizado nos municípios de Maués, Itaituba e Aveiro, sendo uma das mais antigas unidades de conservação criadas no Brasil. O Parna da Amazônia situa-se próximo à confluência das rodovias BR-163 (Santarém-Cuiabá) e Transamazônica e tem sua área drenada pelo rio Tapajós, cujo principal afluente é o Jamanxim. Está sob influência das cidades de Itaituba e Trairão, no eixo da hidrovia do Tapajós-Teles Pires, onde é possível visualizar extensas áreas de desmatamento. Outro importante foco de pressão sobre a unidade está na parte leste, resultado, principalmente, da extração ilegal de madeira e da ação garimpeira.

É caracterizado por abrigar diversos tipos de vegetação e é considerado um dos lugares mais interessantes para observação de aves no mundo. Mais de 400 espécies foram listadas na região desde 1906 e acredita-se que muitas ainda serão registradas. Entre as espécies que ocorrem na área estão o gavião-real, a ararajuba e a arara-vermelha.

O Parque Nacional da Amazônia está inserido no Corredor de Biodiversidade Madeira-Tapajós, programa da Conservação Internacional cujas ações atuais englobam ainda a Floresta Nacional do Pau-Rosa, a Floresta Estadual do Amaná e a Reserva Extrativista do Tapajós-Arapiuns, num total de 9.889.373,547 hectares.

###

Contatos

Associação dos Amigos do Parque Nacional da Amazônia (Amiparna)

Maria Lúcia dos Santos
Diretora de Núcleo de Desenvolvimento da Amiparna
(93) 3518.1631
malusantosita@yahoo.com.br

Edvilson Conceição
Presidente da Amiparna
(93) 9123.3259 / (93) 3518.1631

Rafael Guedes
Especialista em Comunicação
Programa Amazônia - Conservação Internacional
(91) 3225.3707 / (91) 8853.6353
r.guedes@conservacao.org

Rua Tenente Renato César, 78 – Cidade Jardim – CEP 30380-110

Belo Horizonte – MG – Brasil – Tel.: [31] 3261.3889

©2003 Conservation International do Brasil / Aviso Legal / Política de Privacidade