Fique por dentro

Siga nosso Twitter

Acesse nosso canal

Junte-se a nós no Facebook

Nova ONG é criada para proteger a Mata Atlântica do NE

Evento de lançamento será na sexta-feira (02/09) e conta com representantes das oito entidades ambientalistas responsáveis pela iniciativa

Maceió, 01 de setembro de 2005

As oito organizações ambientalistas que desde 2004 estão unidas no Pacto Murici - BirdLife/Save Brasil, Centro de Estudos e Pesquisas Ambientais do Nordeste, Conservação Internacional, Fundação SOS Mata Atlântica, Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, The Nature Conservancy, Sociedade Nordestina de Ecologia e WWF-Brasil - lançam hoje uma nova ONG, batizada de Associação para a Proteção da Mata Atlântica do Nordeste (Amane). O evento oficial de apresentação será no Hotel San Marino Flat, em Maceió (Alagoas), e terá a presença de  representantes de todas as entidades responsáveis pela iniciativa.

“Os mapeamentos mais recentes indicam que já há uma perda de 92,39% da cobertura original de Mata Atlântica no Nordeste”, indica Maria das Dores Melo, diretora executiva da nova ONG. No evento será empossado o primeiro conselho consultivo da Associação, formado por representantes do movimento ambientalista, do setor sucroalcooleiro, do poder público e da iniciativa privada.

Pacto Murici - A Amane surge como executora dos projetos do Pacto Murici e tem em seu conselho deliberativo representantes das oito entidades que o compõem. Uma aliança inédita de grandes organizações ambientalistas brasileiras, o Pacto surgiu em maio de 2004, em prol da proteção da biodiversidade da Mata Atlântica do Nordeste, área situada acima do rio São Francisco. Tem como objetivo o planejamento e a implementação, de forma integrada, de ações para a conservação e desenvolvimento sustentável, e visa criar novos padrões de atuação na região, atraindo parceiros dos setores público e privado. Nesse sentido, propõe práticas e ações de gestão dos recursos naturais que reduzam a probabilidade de perda florestal e de extinção de espécies no futuro. Todas as medidas buscam harmonizar a melhoria da qualidade de vida das populações locais com a conservação do meio ambiente.

A Mata Atlântica brasileira é uma das maiores prioridades mundiais para a conservação da diversidade biológica. Estima-se que essa floresta abrigue mais de 8.500 espécies endêmicas entre plantas vasculares, mamíferos, aves, répteis e anfíbios. Parte desse endemismo está restrito a um bloco bem delimitado de florestas, abrangendo duas ecorregiões da Mata Atlântica: Ecorregião das Florestas Costeiras de Pernambuco e Ecorregião das Florestas do Interior de Pernambuco. Essas áreas se sobrepõem a quatro Estados: Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

A Mata Atlântica do Nordeste -  Os cerca de 5.600.000 hectares remanescentes são constituídos por pequenos fragmentos imersos em uma paisagem dominada principalmente pela cana-de-açúcar. Como conseqüência da interrupção do processo de dispersão de sementes, estima-se que 1/3 das árvores ali existentes estão regionalmente ameaçadas de extinção. “Estimamos que a Mata Atlântica do Nordeste vai perder um grande número de espécies de árvores e de outros grupos biológicos nos próximos anos”, afirma Marcelo Tabarelli, diretor do CEPAN e professor da Universidade Federal de Pernambuco.

A quantidade de unidades de conservação da Mata Atlântica do Nordeste é insuficiente quando comparada aos desafios de sua conservação. E as poucas unidades existentes são pequenas ou não estão implantadas. Um exemplo é a Estação Ecológica de Murici, em Alagoas, considerada uma das mais importantes florestas do mundo e uma das regiões prioritárias para a conservação de aves no hemisfério ocidental.

Localizada a 50 km de Maceió, a Estação Ecológica de Murici foi criada em maio de 2001 com uma área de 6 mil hectares. Não possui um plano de manejo, as ações compensatórias para as desapropriações não foram iniciadas, também não tem sua área delimitada e o Ibama possui apenas três funcionários para fiscalizar a unidade.

A Estação abriga pelo menos 14 espécies de aves ameaçadas de extinção, o maior número entre os remanescentes de Mata Atlântica do Nordeste. Além disso, pesquisas desenvolvidas a partir de 1980 levaram à descoberta de quatro novas espécies de aves: o limpa-folha-do-nordeste (Philydor novaesi), o zidedê-do-nordeste (Terenura sicki), a choquinha-de-Alagoas (Myrmotherula snowi) e o cara-pintada (Phylloscartes ceciliae). A situação de todas as aves endêmicas (não-encontradas em outros locais) é bastante preocupante por causa do contínuo processo de desmatamento na região.


#   #   #   #   #   #   #   #   #  #

Agenda Lançamento Amane

Local:
Hotel San Marino Flat - Rua Noel Nutlef, 437 - Ponta Verde - Maceió/AL
Data: sexta-feira, 2 de setembro
Hora: 16:00


#   #   #   #   #   #   #   #   #  #


Entidades que formam a Amane

A BIRDLIFE INTERNATIONAL é uma aliança global de organizações de conservação presente em mais de 100 países cuja missão é promover a conservação das aves, de seus hábitats e da biodiversidade em geral, trabalhando com as pessoas para o uso sustentável dos recursos naturais. Atuando no Brasil desde 2000, na preservação de áreas prioritárias para a conservação das aves, tem apoiado atividades que mobilizaram a criação da Estação Ecológica (ESEC) de Murici e vem continuadamente monitorando as espécies ameaçadas de extinção, apoiando todas as atividades de conservação na região de Murici.

O CENTRO DE PESQUISAS AMBIENTAIS DO NORDESTE é uma organização nacional conservacionista, de caráter científico, que tem como missão principal a conservação da diversidade biológica brasileira e garantir extinção zero no Centro de Endemismo de Pernambuco; vem desenvolvendo ações como a prospecção de novas áreas de extrema importância biológica no entorno de Murici, consolidando ações`de manejo e pesquisas em áreas relevantes como Frei Caneca e Serra grande (próximas a Murici), inventários biológicos de grupos bioindicadores, divulgação de informações científicas na mídia, revistas científicas nacionais e estrangeiras, programa de estímulo à criação de RPPN’s e programa de proteção de espécies ameaçadas, viabilizando corredores e unidades de conservação entre Murici, Serra Grande, Frei Caneca e Trapiche, parcerias com outras ONG’s, universidades, o setor público e privado.

A CONSERVAÇÃO INTERNACIONAL foi fundada em 1987 com o objetivo de conservar o patrimônio natural do planeta – nossa biodiversidade global – e demonstrar que as sociedades humanas são capazes de viver em harmonia com a natureza. Como uma organização não-governamental global, a CI atua em mais de 40 países, em quatro continentes. A organização utiliza uma variedade de ferramentas científicas, econômicas e de conscientização ambiental, além de estratégias que ajudam na identificação de alternativas que não prejudiquem o meio ambiente. A CI-Brasil tem sede em Belo Horizonte-MG e desenvolve programas na Mata Atlântica, Amazônia, Cerrado, Pantanal e Caatinga. A CI destaca-se pela colaboração com organizações não-governamentais locais e regionais, instituições de pesquisa, órgãos do governo e iniciativa privada na condução de seus projetos. Para mais informações sobre os programas da CI no Brasil, visite www.conservacao.org

A FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA é uma entidade privada, sem fins lucrativos, criada em 1986, com os objetivos de defender os remanescentes da Mata Atlântica, valorizar a identidade física e culturas das comunidades humanas que os habitam e conservar os riquíssimos patrimônios natural, histórico e cultural dessas regiões, buscando o seu desenvolvimento sustentado; que realizou mapeamento dos remanescentes florestais da Mata Atlântica, nos Estados da Região Sudeste e Sul; e que já ocupou a coordenação da rede de ONGs da Mata Atlântica.

O INSTITUTO AMIGOS DA RESERVA DA BIOSFERA DA MATA ATLÂNTICA foi criado em 1999. É uma associação civil sem fins lucrativos e de fins não econômicos, com finalidades ambientais, científicas, educativas e sócio-culturais.Os objetivos institucionais do IA-RBMA são o de apoiar a implantação e o fortalecimento da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) captando e gerenciando recursos voltados à implantação da mesma para conservação, recuperação e desenvolvimento sustentável em sua área de atuação, em 15 estados brasileiros. Na implementação de tais objetivos, o IA-RBMA produz, apoia e difunde informações e conhecimento sobre a conservação da biodiversidade e o desenvolvimento sustentável em sua área de atuação, promove ou apoia a valorização e a proteção do patrimônio histórico e cultural, bem como a valorização das populações tradicionais existente no domínio da Mata Atlântica, fomenta a elaboração e implementação de políticas públicas e programas de educação ambiental , bem como elabora e gerencia projetos voltados à conservação, recuperação e manejo sustentável da Mata Atlântica e do meio ambiente brasileiro.

A SOCIEDADE NORDESTINA DE ECOLOGIA, criada em 1986 e constituída com a missão de promover e realizar ações de conservação da Natureza em nove estados do Nordeste brasileiro, visando abordar diretamente questões ligadas à temática ambiental destes estados, tais como as estratégias de desenvolvimento local e regional, a proteção dos ecossistemas nordestinos, o uso sustentável dos recursos naturais, o reflorestamento e a recuperação de áreas degradadas; que desde 1999 vem apoiando e articulando ações de criação e implantação da Estação Ecológica (ESEC) de Murici; que, participa do Conselho Consultivo da ESEC; que coordena desde Janeiro de 2003 a execução de vários projetos de conservação da biodiversidade no Complexo Florestal de Murici, em parceria com a BirdLife International, a The Nature Conservancy, e o WWF-Brasil entre outras.

A THE NATURE CONSERVANCY é uma organização sem fins lucrativos, que tem como missão proteger plantas, animais e comunidades naturais que representam a diversidade da vida na Terra, conservando as terras e as águas de que necessitam para sobreviver. Criada em 1951, a TNC está presente em 29 países e já contribuiu para a proteção de mais de 30 milhões de hectares em todo mundo. Como organização brasileira, a TNC atua desde 1994 na Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado e Pantanal. Suas ações buscam conciliar o desenvolvimento social e econômico com a conservação dos recursos naturais, integrando áreas protegidas e atividades produtivas numa escala regional. Com vários projetos de conservação na Mata Atlântica, unidade responsável sediada em Curitiba, a TNC tem dado apoio institucional à SNE no sentido de executar uma série de atividades de conservação no entorno da Estação Ecológica de Murici, e desenvolvido trabalho com demais parceiros na conservação e recuperação da Mata Atlântica do Nordeste. Visite http://nature.org

O WWF-Brasil é uma entidade sem fins lucrativos, atuando no Brasil desde 1971, com a missão de contribuir para que a sociedade brasileira conserve a natureza, harmonizando a atividade humana com a preservação da biodiversidade e com o uso racional dos recursos naturais, para o benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações. O WWF-Brasil executa atualmente 71 projetos em parceria com ONGs regionais, universidades e órgãos governamentais. Desenvolve atividades de apoio à pesquisa, legislação e políticas públicas, educação ambiental e comunicação. Desde 2001 tem apoiado atividades que contribuíram para a criação do Conselho Consultivo da ESEC, para o mapeamento das propriedades dentro dos limites da ESEC e para a elaboração de um diagnóstico sócio-ambiental das propriedades localizadas no Complexo Florestal de Murici. Para conhecer o trabalho do WWF-Brasil, visite o site www.wwf.org.br

Rua Tenente Renato César, 78 – Cidade Jardim – CEP 30380-110

Belo Horizonte – MG – Brasil – Tel.: [31] 3261.3889

©2003 Conservation International do Brasil / Aviso Legal / Política de Privacidade